Após 15 anos preso pela ditadura da China, pastor da minoria uigure é libertado

Por em 27.03.23

Alimujiang Yimiti,china,comunismo,perseguição cristã

Na China comunista, a ditadura persegue, tortura e prende qualquer pessoa acusada pelo regime de ser uma “ameaça” ao governo. Entre os alvos de maior repercussão internacional está o pastor Alimujiang Yimiti, de origem uigure uma minoria populacional de maioria muçulmana.

O pastor Alim, como é mais conhecido, se converteu a Jesus Cristo em 1995, e desde então passou a sua vida se dedicando ao evangelho, desenvolvendo um trabalho evangelístico principalmente na região de Kashgar, em Xinjiang. No entanto, a partir de 2007 o pastor Alim passou a ser acusado pela ditadura comunista de “fornecer ilegalmente segredos de Estado a organizações estrangeiras”, sendo classificado como uma ameaça ao governo da China.

Até então, o mundo não tinha pleno conhecimento da perseguição chinesa ao povo uigure, algo que só se tornou mais claro quando veio à tona uma relatório da Comissão de Direitos Humanos da ONU, em 2022, apontando uma série de violações do governo chinês contra essa minoria. A perseguição ao povo uigure, no entanto, ganhou projeção internacional com a prisão do pastor Ali, em 2009, após ele ter sido condenado a 15 anos de prisão pelo Tribunal Intermediário de Kashgar.

“Estima-se que 1 a 3 milhões de uigures foram detidos em campos de concentração desde 2016”

Ryan Foley, Jornalista do Christian Post que conheceu de perto o cenário de perseguição chinesa ao povo uigure.

Felizmente, agora, segundo informações da organização de vigilância religiosa A Voz dos Mártires, o pastor Alim obteve a liberdade após uma década e meia na prisão, podendo retornar para a sua família.


Atos FM – SD

na trilha da sua vida

No AR Agora

Title

Artist

Ativar Notificações Ativar Não ativar